segunda-feira, 9 de junho de 2014

10+20+30

A semana foi marcada por um desafio especial, correr 10km na sexta, 20km no sábado e 30km no domingo. Pra ajudar, de terça a sexta a temperatura antes das 6 da manhã variou de 8ºC (terça) para 21ºC (sexta) e ainda tive ajustes na série de musculação, o que me deixou dolorida. No mais, fiquei bastante ansiosa e redobrei cuidado com alimentação e hidratação.

Na terça tive um treino leve de 40min que fechei com um pouco mais de 6km.

Na quarta 6 de 1km, sendo dois fracos e um médio. fiz os fracos com ritmo de 6:00 e o médio com ritmo de 4:40.

Na sexta-feira, calor anormal na madrugada, os termômetros marcavam 21ºC antes das 6 da manhã. Acho que desde março que não tem esta temperatura neste horário. Comecei os 10km, mas o tempo abafado fez a fc aumentar e tornar o treino duro. Mesmo assim mantive o ritmo e fechei os 10km em 50:17. Duas horas depois o tempo virou de vez e começou a chover…

No sábado o dia amanheceu com neblina e corri os primeiros km com a mão congelada. Mesmo com temperatura mais baixa a fc estava acima do normal, não sei se foi pelo cansaço ou se foi pelo remédio que eu estava tomando, mas com a fc mais alta o ritmo acabou ficando mais lento que o normal. Fiz os primeiros 10km em 51:15 e quando estava na segunda metade, um amigo começou a correr comigo e não me deixou reduzir o ritmo. Fomos conversando e a segunda metade passou mais fácil, com isso fechei em 51:05. Definitivamente devo o treino a este meu amigo, se não fosse ele, acho que teria me arrastado nos kms finais…

Metade do treino já estava concluído e só faltava os 30km do domingo… Para tornar a brincadeira mais interessante, decidi ir treinar no Riacho Grande, onde ou você sobe ou você desce, não existe praticamente trecho plano…

Para quem não conhece o Riacho você pode ir em direção ao portal, onde existe mais descidas do que subidas e claro que na volta você enfrenta mais subidas do que descidas e o percurso tem 6km (só ida); ou você pode ir na direção de São Paulo e pegar algumas subidas e descidas mais acentuadas, mas o percurso é menor que 2km (só ida).

No domingo, comecei o treino mais tarde que o normal (por volta das 7:00) e resolvi ir em direção ao portal, como mais desci que subi, o ritmo encaixou rapidamente, a fc também estava mais baixa que sábado, onde acabei fechando os primeiros 5km em 25:11. Daí, fiz o retorno e entendi do porquê do bom ritmo de início, tinha um um vento muito forte contra e o que ajudou na ida, dificultou na volta, mas mesmo assim fechei os outros 5km em 26:02.

Passei pelo meu carro e segui em direção a SP. Neste momento começou meu inferno particular, o vento contra continuava e as subidas e descidas eram mais acentuada, tentava manter o ritmo, mas simplesmente não conseguia. Neste momento desisti de qualquer plano de ritmo e decidi apenas fazer o meu o melhor. Antes de começar a treinar achava que compensaria a queda de ritmo das subidas, nas descidas, mas isto não aconteceu, sentia minhas pernas pesadas e as descidas mais íngremes eram tão lentas quanta as subidas. Parecia que eu corria, corria e não saía do lugar, isso sem falar no vento que me empurrava a todo momento do acostamento para a pista ou para trás.

O trecho sentido São Paulo era menor do que eu esperava e não consegui fechar 5km indo em apenas um sentido, com isso, teria que ir e voltar sentido portal e ainda restaria alguns km pra fechar os 30km. Como psicologicamente isso não seria uma boa, decidi, já que estava no inferno, beijar o diabo e fazer a volta sentido São Paulo duas vezes seguidas. Sinceramente não sei se foi uma boa idéia, pois concentrei em poucos km várias subidas e descidas fortes e isto fizeram meu ritmo cair ainda mais. Comecei a ficar com raiva de correr, fiquei com raiva de ter escolhido uma maratona como a de San Francisco, fiquei me perguntando o que levava alguém a estar num domingo correndo naquela pirambeira e queria que aquilo terminasse. Lembrei do Iron do meu amigo Bessa (http://tribessa.blogspot.com/2014/05/ironman-2014_31.html) e comecei a desejar que o pneu furasse, mas eu estava correndo e não pedalando hahaha. E assim no meio de todos estes pensamentos fechei mais 5km em 27:09 e voltei para o carro com mais 3km. Isto era perfeito, pois a ida e volta para o portal seriam 12km fechando certinho os 30km.

Comecei descendo sentido portal, o ritmo melhorou um pouco, mas a quilometragem não passava, era como se tudo estivesse em câmara lenta. Fechei os próximos 5km em 28:04 e continuei correndo, acho que levei uma eternidade até chegar no portal, foi a parte mais monótona do treino. Fiz o retorno e comecei a volta, faltavam agora apenas 6km. Só que o vento aumentou, tive que tirar a viseira pois ia ficar sem ela. Forcei o ritmo até fechar os próximos 5km em 27:15 e a partir daí, fui do jeito que dava, o vento não dava trégua e fui obrigada a andar algumas vezes.

Faltando um pouco menos de 3km um pai com uma menina adolescente me ultrapassaram, mas na subida a menina não conseguia pedalar direito e acabei passando ela. Aquilo me deu um novo gás e com a diminuição do vento, consegui melhorar o ritmo sensivelmente, mas o estrago já estava feito e fechei os últimos 5km em 29:43. Quando cheguei no carro minha perna doía que era um inferno e demorei uns 15 min até que a dor passasse. Apesar do ritmo médio ter ficado abaixo do desejado, no geral gostei do treino. A queda do ritmo foi devido ao vento e altimetria e não pelo cansaço dos treinos anteriores. Também foi um bom treino para testar a nova suplementação e ela foi aprovada.

Agora é descansar e esperar o que meu treinador irá inventar para esta semana.

3 comentários:

  1. Muito bom!!!
    Essa maratona vai ser melhor que qualquer pensamento. aisim!!
    Se tivesse ido para o Cristo, 2 voltas já seria insano.
    Parabéns!
    Foco rumo a Maratona e fala pra Coach colocar uns 10km com metade de subida para o domingo e vamos para o Pico do Jaraguá com a Corre.
    Beijos
    Colucci

    ResponderExcluir
  2. É pau. É pedra. É asfalto. É trilha. É subida. É pirambeira . É vento contra. É vento a favor. É o corpo humano posto a prova, posto em prova. É o sono, o cansaço, a incerteza, o delírio. Só não é ainda o fim do caminho, porque o pulso ainda pulsa, a mente ainda gira e a conta nunca fecha. No final e somente no final 10+20+30 serão iguais a 42.195; os seus 42.195.

    Parabéns do amigo e fã

    ResponderExcluir