terça-feira, 19 de julho de 2011

Maratona do Rio

Mais uma maratona completada, mas desta vez não vou contar como foi agora no início, vão ter que ler até o final ou pular para a última página :-)


A Viagem
Para evitar stress de ter que chegar na largada, resolvi viajar com a ECTavares e foi uma grande escolha. Toda a programação foi cumprida com louvor e os atletas e acompanhantes eram muito legais, dei muita risada durante toda a viagem. Recomendo a ECTavares para quem for correr fora de SP.

Almoço Pre-Prova
O Colucci organizou um almoço com 100 atletas e acompanhantes e foi muito agradável e divertido. Aliás já falei para ele que ele deveria mudar de ramo e se dedicar a organizar eventos e provas, já imaginaram como seria o Colucci como organizador de provas na Yescom? Daí sim teríamos uma prova de qualidade... Bom, no encontro revi os velhos amigos, conheci amigos que até então eram apenas virtuais e fiz novos amigos. E o Colucci acertou na mosca quando marcou almoço e não jantar, pois tivemos mais tempo para conversar e ainda chegar cedo no hotel para descansar.


A revista Contra Relogio com uma materia com a Letícia, minha amiga está famosa

Momento tecnologia, almoço com transmissão ao Vivo

Ufa, Colucci finalmente conseguiu parar e almoçar

Reparem no número, cada participante ganhou o seu

Claudia e Jr, grandes amigos


O Kit

O kit

Momento feminino, unha combinando com a camiseta

A Prova
Como programado saímos as 5:00 do hotel e chegamos perto das 6:00 na largada. Consegui deixar minhas coisas no ônibus guarda volume, usar aquele fantástico banheiro químico, fazer aquecimento tudo com calma e sem atropelo. Também encontrei o Jr, a Claudia e Elio e ficamos juntos até a largada.

Após hino nacional foi dada a largada sem grandes atropelos, mas mesmo assim dei uma puxada para me livrar do tráfego. O planejamento era fazer os primeiros 5km com ritmo 5:25 e depois subir para 5:20 e ir mantendo até a Niemeyer, na subida dar uma reduzida e depois acelerar mais e terminar a prova dentro da meta. O plano era lindo, mas a execução foi um tanto diferente.

A corrida começou indo para sul e depois retornando para a largada, onde prosseguimos para o Norte no sentido do Aterro. Os primeiros 10km corremos numa via com o mar do lado direito, a mata do outro lado e o sol nascendo na frente. Foi um momento de paz, onde pude agradecer a Deus pelo fato de estar viva e fazendo o que eu gosto. Tentei neste ponto apenas não deixar a fc subir, mas estava correndo fácil e sem fazer força.

Após esta parte, chegamos na Barra, onde os prédios fizeram uma sombra gostosa, mas por volta do km 14 comecei a sentir difícil manter o ritmo que eu estava e acabei dando uma reduzida. Como eu reduzi, o Jr que até então estava correndo comigo seguiu em frente e eu continuei minha corrida sozinha.

Passei a marca da Meia Maratona dentro do tempo e me sentindo bem. Logo depois veio a subida do Joá e tive que dar uma reduzida para enfrentar a subida. Dentro do túnel, uma surpresa, uma música clássica, luzes e imagens de corredor eram projetadas em Neon na parede do túnel. Um momento belo e de tirar o fôlego.

Saindo do túnel entramos na parte onde uma pista fica em cima da outra e a beleza era da natureza, o mar azul batendo das pedras, deixava o visual ainda mais bonito.

Daí por volta do km24 entramos numa parte de praia e minha perna começou a doer. Era uma dor diferente, na lateral de baixo do joelho. Mantive o ritmo e a postura das passadas e segui em frente, quando me deparei com a subida da Niemeyer. Foi engraçado, pois achei que a parte de uma pista em cima da outra era a Niemeyer e que não teria mais nenhuma subida.

Daí só me restou concentrar nas passadas, reduzir o ritmo e enfrentar a subida sem ficar olhando o final. Até que não foi tão ruim, mas as pernas começaram a doer mais. Também durante a subida, eu lembrei que havia esquecido de tomar o Gel, o plano era tomar 1 gel a cada 7 km e já estava no km 26 e o último gel que eu tomei foi no km 14.

Na Niemeyer passamos por uma parte plana, em frente ao morro do Vidigal e começamos a descida. A minha perna doía tanto que não consegui acelerar na descida, apenas mantive o ritmo e segui em frente.

Após a descida começou a praia e já estava com tanta dor que em todos os postos de água andava alguns segundos. Não reparei mais na paisagem, apenas tentava me concentrar nas passadas e manter o ritmo. Neste ponto terminar antes das 4horas seria um ótimo resultado, mas os km começaram a passar lentamente e cada km parecia eterno.

Passei em frente à arena dos jogos militares e me deu vontade de entrar, sentar e ficar por lá assistindo o jogo. Pensei também em pegar um táxi e chegar mais rápido no final, mas eu havia treinado tanto e desistir não era uma opção.

De repente (quer dizer nem tanto) viramos à esquerda e fomos em direção ao túnel, o fim se aproximava, graças a Deus.... Havia uma banda militar tocando, mas não prestei muita atenção, só queria que a corrida terminasse.

A todo momento gritavam que o fim estava próximo, mas cada metro percorrido meu sofrimento aumentava e a sensação de cãimbras também.

Quando passei pela placa do km 40, o gás acabou de vez e achei que fosse desmaiar , simplesmente não conseguia mais correr. Comecei a intercalar trote com caminhada e as pessoas gritavam para eu não parar que a chegada estava próxima, mas eu não tinha o que fazer. Vi uma ambulância e pensei em parar, lembrei do Piombo que desmaiou no km 41 e do Presidente que sofreu para concluir a maratona de SP. Ambos tinham alguém do lado e eu estava sozinha, então tinha que seguir em frente até o fim.

Quando avistei finalmente a linha de chegada, vi a Ligia e a Lariza, minhas amigas queridas, e aquilo meu deu uma sensação de conforto e consegui finalmente cruzar a linha de chegada em 4h e 2min.

Tinha conseguido, terminei mais uma maratona, o tempo não importava, eu estar viva e inteira sim. A emoção era tanto que não conseguia tirar o ticket do número para pegar a medalha. Um rapaz da organização me pediu calma, pegou o ticket e colocou a medalha no meu pescoço.

Sem mais nem menos comecei a chorar, então vi a Lariza e a Ligia que tinham vindo me encontrar e fui abraçá-las. Elas ao me verem começaram a chorar também... Em seguida encontrei o Jr e ao abraçá-lo chorei novamente. Um corredor que eu não conhecia viu o meu estado e foi me abraçar e me dar parabéns. Naquele momento eu era capaz de abraçar o mundo.

Agradeço a Ligia, a Lariza e o Jr do fundo do meu coração, eles compartilharam comigo um dos momentos mais importantes da minha vida e me deram uma força indescritível.

Que medalha sofrida....

Lariza e Ligia, minhas grandes amigas

A trupe de vencedores

A Organização

A Organização da prova foi perfeita, desde a largada até a chegada. Na largada não teve atropelo, em todos os postos tinham água gelada e nos postos de isotônicos uma garrafinha era distribuída. No final, teve distribuição de água, isotônico e kit de lanche que por sinal também foi muito bom.

O programa adote um metro também foi interessante, durante o percurso havia muitas pessoas incentivando os atletas e suas palavras de incentivo nos ajudaram muito.

Houve também algumas cenas engraçadas, havia um cara vestido de Rambo, com uma roupa de enchimento fazendo os gominhos na barriga e com um cartaz, “Corra ou eu atiro”. Havia um outro cara com um cartaz, “Corra ou eu agarro”. Tinha Robocop, Piratas do Caribe e outras figuras incentivando os atletas. Já no Vidigal, as crianças ficavam pedindo bonés.

Histórias

O legal de uma Maratona é que sempre temos histórias para contar e nesta não podia ser diferente.

No ônibus indo para a largada conheci um senhor extremamente simpático, chamado Antonio Monteiro. Ele contou que sua esposa é seu treinador e que ela briga com ele caso ele não termine a corrida entre os 5 primeiros da sua categoria. Ela ainda cobra se outros atletas estavam na corrida, pois se não estiverem a boa colocação não valeu... Ele também contou como venceu o sedentarismo e o vício no álcool. As histórias são tão legais que daria para escrever um livro.

Na subida do Joá um simpático senhor ficou ao meu lado, me incentivando. Ele tinha dezenas de maratonas nas costas e deu dicas valiosas, o mais engraçado é que ele falava que estava me mandando e-mails e que era para eu registrar no meu Pen Drive e que ainda me mostrou seu GPS. Quen diria encontrei um senhor mais antenado do que eu. Quase perguntei a ele qual era seu nick no Twitter.

Depois da Niemeyer vi um atleta abraçando várias pessoas que estavam lá apoiando ele. Mais tarde escutei ele conversando com um amigo e perguntando se o amigo tinha visto a família. O amigo disse que sim, que estava a mãe, a tia e a avó. Daí ele comentou que a família do amigo fizeram tanta festa para ele que parecia que era a mãe dele que estava lá.

O Resultado

O resultado não foi o esperado e analisando friamente, não posso jogar toda a culpa no calor. Ele prejudicou sim o resultado, mas acredito que a principal razão foi que superestimei minha capacidade.

No ano passado ceu orria curta e longa distância praticamente com o mesmo ritmo. Só que eu evoluí bastante na curta distância e achei que o ritmo que eu estava correndo era o ideal para a maratona, mas não era e o ritmo intenso no início da prova custou muito no final.

Não desisti de Boston, continuarei a perseguir o índice, mas creio que levarei mais tempo do que o planejado.

Agora estou de férias e somente na semana que vem vou pensar quais serão minhas próximas provas.

15 comentários:

  1. ---------\\\\|/---------
    --------(@@)-------
    --ooO--(_)--Ooo--
    Agora vendo a atualização com fotos de seu blog que me lembrei de vc...rsss...Legal te conhecer pessoalmente Yeda, só que vc está no furo comigo 1 x 0 para vc, cade eu aqui no seu blog...eu coloquei vc no meu blog...kkk...to brincando amiga, foi uma tarde de sábado memorável para todos nós corredores, agora eu fiz um post e coloquei vários amigos que conheci e tem uma foto com vc e o Marcos e uma outra amiga e esqueci o nome dela se puder me informar para eu atualizar lá eu te agradeço...Mesmo vc sentindo dores lhe parabenizo pelo feito de ter concluído a Maratona do Rio e espero que ano que vem vc venha correr ela, a Maratona do Rio tá crescendo que o público tá indo para a rua torcer por nós e isso é muito bom né...Eu vi alguns personagens que vc disse aqui no blog como o cara vestido de RAMBO e Mário...rsss...O Colucci também está de parabéns por ter nos reunido naquela tarde, bom minha amiga a Maratona tem muitas histórias para serem contadas como vc disse aqui...Pois infelizmente eu não consegui atingir o objetivo que era correr abaixo de 3 horas, pois quando cheguei no KM 33 me deu uma forte dor estomacal que me fez parar por 20 minutos e acabei terminando em 3h 30min, mas na próxima com certeza eu conseguirei e também espero que vc consiga também...Boa preparação para a Maratona de Boston.

    Bjs

    Jorge Ultramaratonista
    www.jmaratona.com

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Yeda por mais uma vitória!

    ResponderExcluir
  3. yeda!!!

    parabéns!!!
    eu li e achei super legal, emocionante seu relato!
    estava doida pra saber se você tinha gostado da maratona, e todos os detalhes da sua aventura!!!

    é interessante isso que você disse no final... sobre expectativas em relação a uma prova, e a dura realidade que é correr a tal prova...

    o que eu achei mais legal disso tudo é que mesmo não tendo atingido a sua meta em relação ao tempo, você curtiu muito sua conquista, se emocionou, vibrou!
    é uma verdadeira apaixonada por esse nosso esporte lindo, cheio de desafios de tirar o fôlego (literalmente! kkkkkkkkkk)
    e eu sou fã de gente apaixonada por aquilo que faz;)

    bom descanso!
    e mais uma vez, parabéns!!!!!

    bjs
    http://elismc.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Yeda,
    Parabéns pela prova!
    Que bom que, apesar de não ter feito o tempo planejado, você curtiu a prova! isso é o mais importante.
    Com certeza, além da alegria de ter completado, você vai extrair muitas lições valiosas da prova e, assim, evoluir ainda mais como corredora e como pessoa. Isso é o mais legal!
    Como você saiu com gostinho de "quero mais", a qualificação para Boston é questão de tempo...
    Bjs
    Sergio
    corredorfeliz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Yeda! Adorei seu relato (#comosempre). O gostoso que estou vendo nos relatos é que uma organização de prova boa, deixa vc se concentrar nos outros assuntos importantes para vc. Não dá raiva pelo menos né.
    Pena que não foi sub4 dessa vez, continue firme.
    Lindona vc!

    boas férias!

    ResponderExcluir
  6. Yeda, tb fiquei morrendo de vontade de te dar um abraço depois desse relato emocionante.

    Você foi perfeita, correu com raça e terminou em um tempo que considero mais do que excelente.

    Que venha agora mais uma série de preparações para Boston!

    ResponderExcluir
  7. Me lembrou meu primeiro Iron e o "choque de realidade" ao ver o tempo no portal.

    O que era aquilo?

    E justamente a prova para a qual tinha me preparado tanto.

    Só que tem ter paciência, porque o seu resultado não vai sair de uma, duas ou três maratonas...

    As coisas são cumulativas...

    E, olha, o seu qualify para Boston está logo ali, viu? Você não vê agora porque está fazendo uma curva...

    Mas quando ela terminar, vai dar de cara com pórtico e o tempo que você merece...

    Parabéns por ter feito uma prova de superação e de não ter entregado os pontos!

    Ai, nessa hora, é que a gente vê do que as pessoas são feitas...!

    D++++++++

    ResponderExcluir
  8. Hola Yeda,

    Soy un runner de España viviendo desde hace 11 años en Panama. Corro especialmente Maratón y Ultra pero tambien 21km y distancias menores.

    Me gusta tu blog y me he suscrito como seguidor.

    Te dejo el mio por si quieres hacer lo mismo, bienvenida !

    Saludos,
    http://www.runninginpanama.blogspot.com/

    FER PANAMA

    ResponderExcluir
  9. Oi Yeda, eu chorei lendo o post...Mas é que sou besta mesmo. Gostei do relato.. Pena que não te vi na chegada (no KM42), fiquei esperando por todo mundo mesmo, até quem eu não conhecia, pois achei sensacional ver como as pessoas chegam, é muito variado.
    Bem, aproveite suas férias, eu estarei parada 15 dias planjenado minha vida, tanto no mundo da corrida quanto fora dela.
    Beijos, Letícia

    ResponderExcluir
  10. Chorei ao ler o seu relato, é muito bom saber que não somos sexo frágil... Parabéns!

    http://donamocaarte.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Oi Amiga,
    Parabéns pela superação, sei exatamente o que vc passou nessa maratona, fui igual. Sò não te esperei um pouco porque acreditava que você estivesse na frente, em BOSTON.
    Essa corrida é linda D+, só que tem 42km e 40º de emoções.
    Muito legal seu relato.

    Que bom que CURTIU o almoço, essa é a melhor recompensa, saber que foi bom!! Muito obrigado pela presença.

    Beijos beijos
    Colucci
    @antoniocolucci
    http://toticolucci.blogspot.com

    *vou add seu relato no próximo post!

    ResponderExcluir
  12. Yeda, grande mulher!
    Tua trajetória até esse resultado é fantástica e te tenho como exemplo de grande vencedora.
    Passei um tempo sem acessar o blog, mas tinha em mente que deveria vir aqui, no teu espaço dedicar tempo e atenção as tuas palavras.
    Hoje fiz isso, linha por linha, história por história.
    Definitivamente, és uma campeã.
    Parabéns, descanso merecido.
    Bjo,
    Ingrid

    ResponderExcluir
  13. Corredor pangaré... AMEI! Rs... Parabéns pelos feitos! Sou iniciante, coro há menos de um ano, mas já participei de udas provas de 5k e duas de 10k, tirei 2º na minha categoria... Mas gosto mesmo é de distância... Quanto tempo vc demorou para sua primeira maratona?
    Vou te seguir! Adorei seu blog!
    Quando puder visite o meu:
    www.asinhasnospes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Leilany, a camiseta é do site de um amigo, o www.vamoscorrendo.com.br, tem um monte de camisetas legais lá. Para se fazer maratona não tenha pressa para não se machucar, eu demorei uns 2 anos para fazer meia maratona e depois de umas 5 meias fui para a Maratona, mas já fazia outros esportes como natação e condicionamento físico a uns 10 anos

    ResponderExcluir